Skip to content

Bang Bang Rock And Roll – Art Brut

14/01/2007
Indie Rock: termo em inglês que significa rock independente.

É nesta “categoria” que Art Brut (Londes, Inglaterra) entra. Não conhecia a banda até semana passada, apesar dela ter tocado aqui no Motomix, antes do Franz Ferdinand, e ter aparecido na capa da Rolling Stone alemã em Setembro de 2005. Já é bastante conhecida pelos fãs de indie rock, e aparentemente já está ultrapassada para aquele pessoal que gosta de ouvir bandas que ninguém nunca ouviu (nem os pais do vocalista).

Este é o primeiro disco da banda, lançado em Maio de 2005 e contém a música Formed a Band, lançada como single no Reino Unido em Maio de 2004. Para ser sincero, nada me chamou atenção em demasia nas músicas. São rocks crus, simples, estilo anos 70. O vocalista tem um sotaque britânico fortíssimo, que chega a parecer forçado em alguns momentos (lembra Morissey). O som chega a ser tão simples que o disco inteiro parece ter sido gravado em uma semana.

O disco tem logo de cara a música Formed a Band que, de tão simples, chega a ser engraçada. Pra se ter uma noção, o refrão da música é “Formed a band, we formed a band. Look at us, we formed a band.” repetido quatro vezes. Infantil, mas sincero pelo menos. A melodia e riffs e guitarra não são nada trabalhados, mas bons. Percebe-se isso bastante na segunda música, chamada My Little Brother, que começa com uma guitarrinha bem frenética e repetitiva com um timbre à lá anos 60 (lembra Strokes também).

Ouvindo-se o CD percebe-se que não há uma mudança no estilo das músicas. São todas bastante parecidas, e isso faz com que ele se torne cansativo. Se você começou com a primeira, chegando na sétima não se sabe mais em que música está. Perdeu-se a atenção na música devido a essa repetição de estilo. Não consegui ouvir o álbum inteiro de uma vez só. O som é bom, mas o vocalista é cansativo demais: o sotaque, a falta de ritmo e o timbre de voz me fazem querer parar de ouvir uma música no meio.

A 12ª música pode ser ressaltada nesse marasmo: 18.000 Lira. É um rock bastante rasgado, puxado pro punk. Foi a primeira música que ouvi da banda e me chamou muita atenção. Não é cansativa, é bastante direta, e (surpreendentemente) o vocalista parece ter mudado de uma hora pra outra: vocal mais reto, com menos sotaque, e com um timbre que lembra a boa época do punk rock. Corrí atrás do álbum esperando ouvir coisas deste gênero, porém me decepcionei.

Em suma: é (mais uma) banda de indie rock, com o pé nos anos 60 e 70, rock reto, pouco trabalhado (chega a dar a impressão que foi feito às pressas). Apesar disso, o som é bom e poderia ser muito mais interessante se tivesse outro vocalista: timbre de voz chato e sotaque britânico extremamente carregado.

Vale a pena ouvir? Sim, ao menos uma vez. Essencial? Não.

Anúncios
One Comment leave one →
  1. Nicneven permalink
    31/01/2007 09:53

    Art Brut pra mim significa que dá pra brincar e tirar um sarro desse universo indie retrógrado em que vivemos. Onde, como você mesmo cita, as pessoas só se interessam pelo que ninguém nunca ouviu. Odeio síndrome de underground!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: